O jeito certo da coleta seletiva

Você sabia que erros ao descartar o lixo podem resultar em problemas ambientais ou acabar contaminando resíduos recicláveis a ponto de não poder reaproveita-los? Mesmo que muitas pessoas queiram colaborar com o meio ambiente, é preciso aprender o jeito certo da coleta seletiva. Veja aqui como!

O jeito certo da coleta seletiva

Primeiro é preciso saber que não é necessário separar os resíduos por cada tipo. Basta que você descarte-os em dois grupos: os úmidos ou orgânicos (não recicláveis) e os secos (recicláveis). Madeira, cigarro, restos de alimentos, entre outros materiais que causam odor, desenvolvem fungos e bactérias ou atraem animais peçonhentos e insetos, precisam ser descartados no lixo comum.

É bom enxaguar os materiais que são coletados para reciclagem para eliminar os resíduos, embora lá eles serão bem lavados, pois isso evita mau cheiro e o aparecimento de insetos e de contaminação. As garrafas, embalagens que não tiveram contato com alimento gorduroso e as caixas de longa vida podem ser lavados somente com água. Mas as utilizadas para transportar alimentos precisam ser lavadas com detergentes.

Outros materiais como, embalagens de salgadinho, potes de margarina, frascos de esmalte, frascos de tintura de cabelos não podem ir para a coleta seletiva, porém, não têm que ir para o aterro. Existem empresas que recebem esses materiais que precisam de maiores cuidados para seu reaproveitamento.

Reciclável e não reciclável

Plástico

– Recicláveis: potes, sacos ou sacolas, garrafas PET, tampas, canetas sem carga, embalagens de produtos de limpeza, baldes, escovas de dente e utensílios de cozinha.

– Não recicláveis: adesivos, plásticos ‘termofixos’ (usados em computadores, teclados e telefones), acrílicos em geral, espumas, embalagens com material corrosivo e tóxico e tomadas.

Papel

– Recicláveis: livros, papel de seda, cadernos, caixas de papelão, papel kraft, jornais, revistas, papel de desenho, cartolinas e caixas tipo longa vida.

Não recicláveis: fitas e etiquetas adesivas, papéis metalizados, celofane, papel vegetal, papel fotográfico, carbono, parafinados ou plastificados.

Vidro

– Recicláveis: frascos de condimentos, garrafas, pratos, copos e outros objetos.

Não recicláveis: lâmpadas, porcelana, vidro plano, espelhos, cristal e cerâmica.

Metal

– Recicláveis: cobre, fios, tampinhas, latas e objetos de alumínio, arames, grampos, chumbo e bronze, chapas, embalagens de marmitex, clips e canos.

Não recicláveis: latas de aerosol, esponjas de aço e pesticidas ou tinta.

Publicado por Andreia Silveira na categoria Dicas no dia março 17th, 2014.

Clique aqui para Comentar! »


You can comente, or trackback from your own site.

Deixe seu comentario: